Previsão de crise mundial em 2018

O portal português Observador, um dos melhores veículos jornalistas em língua portuguesa na atualidade, postou avaliação que indica possibilidade de turbulências na economia mundial neste ano.

O Eurasia Group, influente consultora de riscos políticos, com sede em Nova Iorque e presença global, indica a possibilidade de ocorrer uma grande crise inesperada, este ano, equivalente ao ocorrido em 2008.

Uma das questões é a novidade dos EUA de Trump, cada vez mais virados para dentro; e a China conquistando maior fatia do protagonismo internacional.

De acordo com o Observador, em relatório do Eurasia Group, publicado na terça-feira (02), que pode ser lido gratuitamente Relatório do Eurasia Group, o Eurasia Group alerta que “2018 não se afigura bom”  “A ordem global está a ruir”.

Outro problema apontando é a fragmentação dos mercados globais, porque os governos estão cada vez mais intervencionistas.

Em entrevista à Bloomberg, o presidente da Eurasia, Ian Bremmer, disse que uma das questões de base é que “os chineses vão, cada vez mais, ser vistos como o maior motor para o desenvolvimento de outras economias, que tenderão a alinhar-se mais com Beijing do que com Washington”.

Outra das áreas em que a China está a tentar garantir uma hegemonia futura é na tecnologia, em especial em inteligência artificial.

“À medida que os nossos carros, casas, fábricas e infraestruturas públicas começam a gerar enormes montanhas de dados; e à medida que a conectividade evolui no sentido da realidade aumentada, uma nova geração de humanos vai dar por si ‘ligados’ 24 horas por dia, o que terá implicações importantes para a sociedade e para a geopolítica”, diz o Eurasia. Até lá, contudo, é no campo da tecnologia que está a decorrer a “maior batalha em todo o mundo, por poderio económico”.

Deixe uma resposta

Assign a menu in the Right Menu options.