Múltiplas Faces, de Clara Vidotti, na Galeria de Arte do Sesc

Por Benedito Junior

Retratando a diversidade e promovendo uma reflexão dos padrões sociais, a exposição Múltiplas Faces, em cartaz Galeria de Arte do Sesc (Praça Deodoro, em São Luís) traz ao público 24 trabalhos, entre pinturas sobre papel e desenhos de técnica mista, numa demonstração que as diferenças também podem se unir. De autoria da artista plástica maranhense Clara Vidotti, o objetivo é romper, ampliar os limiares da definição de feminino.

A exposição é resultado de observação constante de pessoas no dia a dia, que quase sempre estão com pressa e carregam uma miscelânea de emoções e impessoalidades escondidos em uma face, uma máscara construída de valores sociais.

Buscando trazer à tona a essência do ser humano, a estudante de artes visuais Clara Vidotti instiga uma reflexão sobre as relações pessoais e interpessoais, com valorização e o reconhecimento das diferenças, a partir do traço firme e delicado da nanquim e da mistura de cores aplicadas nas obras.

Múltiplas Faces traz uma reflexão e um gatilho para a auto-observação e reconhecimento, valorização das individualidades, onde as pessoas estão se perdendo para o padrão social, para os “valores” impostos pela sociedade, sendo necessário se reafirmar, se aceitar, e o mais importante, aceitar e respeitar aos demais, aceitar a diversidade.

“A diversidade engloba diferenças e, ao mesmo tempo, semelhanças encontradas nas pessoas. As pessoas têm a tendência para reclamar ao invés de aprender com as diferenças. Possuem uma falsa ideia de que não podemos nos mostrar vulneráveis. Excluindo as oportunidades para muitas pessoas. Muitas pessoas vivem em cima de padrões impostos pela sociedade, julgam pela primeira impressão, e não dão oportunidades para conhecer uma pessoa em sua essência, sem estereótipos”, declara Clara Vidotti.

Clara trabalha principalmente com tinta aquarela e nanquim, a junção do traço firme e as imprevisíveis nuances da aquarela. Exprimindo emoções e sensações através das cores translucidas ou chapadas da tinta, ou monocromático do nanquim.

Utiliza a figura feminina e homens afeminados, com um misto de realismo e abstracionismo, para exprimir suas emoções. “ Muitos dos que eu desenho, são pessoas um misto de pessoas que observo no meu cotidiano, estou sempre observando as pessoas a minha volta, como sorriem, como são angustiadas, e como se portam. Na correria do dia-a-dia as pessoas tornam-se cada vez mais mecanizadas e inexpressivas, então gosto de ver o traço que ainda tem de humanidade nelas. Falta apatia, um sorriso de bom dia, um simples cumprimento”

Foi premiada em um concurso nacional, promovido pela Alcoa/Alumar, e teve seu desenho estampado em cartões de natal, traduzidos em três línguas. Também ganhou um concurso organizado pela Boticário, em São Luís, tendo o melhor desenho. Além dos prêmios, Clara participou de várias coletâneas juntamente com os irmãos Fábio e Raphael Vidotti.

Entre os nomes que são referências na história da arte, ela diz preferir o holandês Van Gogh. “ É o artista que mais mexeu comigo, e o que mais me fez pensar no que eu queria fazer, e em como eu queria fazer, nunca gostei da busca pelo realismo, ou pela perfeição. Prefiro trabalhar mais livremente com as cores e com a mistura do imaginário, do inconsciente, dos meus delírios”.

Serviço

Exposição Múltiplas Faces

Onde: Galeria de Arte do Sesc Centro (Av. Gomes de Castro, 132, Centro, São Luís/MA);

Quando: Até 18 de maio, das 9h às 17h (exceto sábados, domingos e feriados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *