Batalhões de matraca e peixe cozido no Lava Boi de Ribamar

No município de São José de Ribamar, localizado na região metropolitana de São Luís, cultiva-se a tradição de comemorar o Carnaval e o São João “fora de época”, nas festas respectivamente denominadas “Lava Pratos” e “Lava Boi”.

O Lava Boi é um grande encontro dos batalhões de bumba-meu-boi sotaque de matraca, os quais reverenciam São José de Ribamar no primeiro domingo após o encerramento “oficial” dos festejos juninos.

Assista ao vídeo abaixo

Logo bem cedo, na avenida principal da cidade, os brincantes fazem soar as matracas, pandeirões e tambores-onça, acompanhados da evolução dos seus vaqueiros, índias, cabocos de pena, burrinhas, Catirina e Pai Francisco, algumas das personagens do auto do bumba-meu-boi.

A festa, misto de sagrado e profano, inclui a homenagem ao padroeiro São José de Ribamar, quando as brincadeiras concentram na porta da igreja principal da cidade.

As apresentações do Lava Boi acontecem no meio da rua, onde os brincantes se misturam aos moradores da cidade, turistas e admiradores, tocados pela percussão das matracas, pandeirões e toadas amplificadas nos carros de som que acompanham cada batalhão.

A festa tem momentos de rivalidade, quando os cantadores entoam as “toadas de pique” – ironias saudáveis que um boi canta para o outro, visando enaltecer as qualidades do seu batalhão e pilheriar o rival.

A rivalidade também está presente nas preferências individuais dos tocadores de pandeiro e nos matraqueiros, que paramentam os instrumentos com símbolos dos seus times de futebol, por exemplo.

Apesar das rivalidades, a festa é uma confraternização geral que reúne apaixonados por bumba-boi, com pessoas de todas a idades que lotam a cidade para curtir a trupiada.

Pelo Boi de Maracanã, uma das figuras expressivas é Zé Mario, diretor da rádio comunitária Araruna FM e também integrante da diretoria do Batalhão de Ouro.

A rádio Araruna FM mantém durante o ano inteiro, aos sábados, o programa Sotaque da Ilha, que tem como principal musicalidade as toadas de bumba-meu-boi. Detalhe: o Sotaque da Ilha é apresentado pelo radialista Antônio Luís Assunção, locutor oficial do Boi da Maioba, prova de que as rivalidades são apenas distrações para animar os apaixonados.

Entre as singularidades do Lava Boi, destaca-se o preciosismo de um apaixonado pelo bumba-boi da Maioba – o ribamarense Paulo Campineiro. Há oito anos ele oferece um suculento almoço à base de peixe cozido, em sua residência, para todos os brincantes e simpatizantes maiobeiros.

Paulo Campineiro sente-se orgulhoso de receber os amigos e simpatizantes do Boi da Maioba em sua residência, que fica tomada de gente a manhã inteira, abastecendo o batalhão com panelas imensas de peixada, enquanto se prepara para o desfile na avenida principal da cidade.

A festa todos os anos é encerrada com a apresentação do bumba-boi de São José de Ribamar, quando as duas pistas da avenida principal ficam tomadas de gente para acolher a brincadeira da cidade anfitriã.

1 comentário

  • ESSA É UMA DAS MELHORES ÉPOCAS DO ANO.
    MÊS DE SANTO ANTÔNIO, SÃO JOÃO, SÃO PEDRO E SÃO MARÇAL. MAS NÃO ACABA POR AÍ, NOS TEMOS AINDA O FAMOSO LAVA BOIS DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR, ONDE OS GRANDES BATALHOES SE REÚNE E PRESTIGIA O NOSS SANTO PADROEIRO #SÃO JOSÉ DE RIBAMAR.
    EU SOU ACOMPANHO O BATALHÃO PESADO DA MAIOBA, ONDE VAI DEIXAR SAUDADES.
    AGORA TEMOS A MORTE DA NOSSA BRINCADEIRA E DEPOIS SÓ AGUARDAR O ANO DE 2019 .

Deixe uma resposta

76 − 75 =