100 anos do repórter fotográfico Dreyfus Azoubel

Foto clássica do incêndio do navio Maria Celeste, de autoria de Dreyfus Azoubel (1919-2002).

Pensem nessa embarcação, em chamas e afundando, em uma área perto da Av. Beira-Mar, na São Luís de 1954.

O fotojornalista Dreyfus Azoubel será homenageado, nesta terça-feira (15), às 19h, com uma Roda de Conversa, no auditório principal da Feira do Livro de São Luís 2019 que acontece no Multicenter Sebrae.

A viúva, Lourdinha Azoubel, em nome da família, sente-se honrada pela lembrança e agradece a homenagem em comemoração ao centenário de nascimento do primeiro repórter fotográfico do Maranhão.

Maria Celeste foi uma embarcação cargueira, de propriedade da Companhia de Navegação São Paulo, construída em 1944, que naufragou em 16 de março de 1954, no Rio Anil, nas proximidades do Palácio dos Leões, em São Luís.

O navio foi atingido por um incêndio durante a operação de descarga de combustível. Afundou após queimar por três dias consecutivos, deixando 16 mortos.

Deixe uma resposta

28 − = 25