Flávio Dino e os livros

A entrevista do governador Flávio Dino no programa Palavra Acesa estará disponível no You Tube.

Palavra Acesa é um programa no qual o entrevistado fala de sua relação com os livros. Já participam o cantor Zeca Baleiro, o ator César Boaes e a gestora social Diane Pereira Sousa.

Flavio Dino apesentou suas memórias de amor aos livros. A entrevista foi no sábado (19), no auditório do Sesc, em São Luís.

O programa e mediado pela jornalista Andréa Oliveira.

Os bate-papos com Baleiro e Boaes estão disponíveis no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=_KOJluV39sg).

Último dia do Ambulatório Santos, de Seu Tonico

Antônio de Jesus Coelho Santos, o Seu Tonico, 96 anos, abriu o Ambulatório Santos, pela última vez, no domingo, dia 1° de setembro de 2019.

O Ambulatório Santos funcionou, deste a década de 1970, na Rua Humberto de Campos, 205, uma via que começa na Praça João Lisboa e segue rumo à Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís.

Acompanhado do neto, Mauro Praseres, e da filha, Ilda Santos, Seu Tonico comandou a mudança. Indicou à filha e ao neto como retirar e transportar cada peça, cada produto que saia para ser acomodado no veículo estacionado em frente ao ambulatório.

“Mauro, este litro não pode ir deitado; tem de ir com a tampa sempre para cima”, recomendou Seu Tonico ao neto.

Os porta-retratos foram indicados para irem na parte da frente do carro e não na carroceria.

De Arari a São Luís

Em 1974, Seu Tonico e família saíram da cidade de Arari, no Maranhão, para São Luís. Antes, passaram um ano em Miranda do Norte.

Em São Luís, Seu Tonico abriu o Ambulatório Santos. “Muitos fregueses confiam mais em mim do que nos médicos”, afirma Seu Tonico, que não chegou a concluir o curso de farmacologia, mas é dono de uma alquimia própria.

Mauro contou que cresceu ouvindo elogios ao avô. Ele recorda que diversos clientes diziam frases do tipo “Eu não vou em médico assim; eu vou em Seu Tonico, primeiro”.

Pai de seis filhos, entre os quais o cantor e compositor Zeca Baleiro, Seu Tonico atendida pessoas com problemas de saúde, vendida remédios, incluído fórmulas farmacêuticas próprias, e fazia pequenas cirurgias.

Canção de Zeca Baleiro homenageia os qualhiras

Claudio Lima canta Qualhira, música inédita de Zeca Baleiro, no show Claudio Com a Lira, nesta sexta (23) e sábado (24), às 20h, no palco da Pequena Companhia de Teatro (Rua do Giz, no Centro Histórico de São Luís).

No repertório, 15 canções que buscam uma representatividade homoafetiva, entre as quais a inédita que Zeca Baleiro fez especialmente para o show.

Menos de um mês depois do show de estreia de Com a Lira, em maio, Cláudio Lima recebeu uma ligação de Zeca Baleiro dizendo que tinha feito uma canção especialmente para ele.

“Fiquei imensamente feliz; primeiro porque é a primeira vez que vou cantar uma música de Zeca e, também, porque a canção tem tudo a ver com aquilo que eu quero dizer nesse momento”, afirma Claudio Lima.

A direção do show é do teatrólogo Marcelo Flexa e tem participações especiais de Vinna, na sexta, e Tássia Campos, no sábado. No palco, os músicos Toti Moreira e Luís Cruz (violão, guitarra, percussão e bateria). Apoio Cultural BR-135 e Cervejaria Dona

Qualhira (Zeca Baleiro)

Viado, baitola, boiola, frutinha,

Gazela, bicha, bambi

Errante, erradio, perdido,

Desnorteado, maricas, urucum

Barrote, barril, perigoso

Frango, jóquei de jiboia

Entendido, invertido

 

Efeminado

Fresco, pera, maçã

Fruta

Na luta

Contra a força bruta

 

(Eu) sou um anjo que sai pela rua

Arte (dança) que o povo admira

Anjo torto, com a lira

 

Eu sou um anjo que vai pelo mundo

Com alma de caxemira

Mais que um anjo

(Mais que um homem)

Um qualhira

 

 

 

 

César Boaes fala do pai no Palavra Acesa

O ator César Boaes, que interpreta a personagem Clarisse Milhomem na comédia Pão com Ovo, foi o entrevistado do programa Palavra Acesa, mediado pela jornalista Andréa Oliveira, na sexta-feira (16), no Teatro Napoleão Ewerton, do SESC, em São Luís do Maranhão.

César Boaes falou de sua relação com os livros e homenageou seu pai, que estava na plateia, com quem ele aprendeu a gostar de poesia ainda na infância. .

Palavra Acesa tem como pauta principal o amor ao livro. Foi lançado em julho com entrevista gravada com o compositor Zeca Baleiro. O projeto segue até dezembro (uma a cada mês) e é disponibilizado no You Tube.

O bate-papo com Zeca Baleiro está disponível no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=_KOJluV39sg).

O projeto é uma realização do Festival BR-135, Sesc MA e da Escola de Cinema do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema).

Tem apoio do Circuito Palavra Acesa, integrado pelas livrarias Vozes, Sebo do Arteiro, Chico Discos, Poeme-se, PaçoProsa e Feira da Tralha, todas localizadas no Centro Histórico de São Luís.

Palavra Acesa estréia com Zeca Baleiro

O compositor Zeca Baleiro declara seu amor aos livros no lançamento do Programa de entrevistas Palavra Acesa, neste sábado (27), às 16h, no Teatro SESC Napoleão Ewerton (Avenida dos Holandeses, em frente ao Ibis Hotel, em São Luís).

Na ocasião será exibido o vídeo da conversa que teve com a jornalista e escritora Andréa Oliveira, gravada para inaugurar o projeto, que segue de agosto a dezembro, com novas entrevistas (uma a cada mês), todas registradas em vídeos que serão disponibilizados na internet.

Nesta primeira entrevista, Zeca Baleiro fala de suas primeiras leituras, das lembranças da biblioteca de seu pai e lê um trecho do livro O estrangeiro, de Albert Camus, escolhido por ele para inaugurar o acervo do programa. “Ler é um gosto que se adquire na infância e uma vez adquirido a gente leva para a vida”, disse.

O programa Palavra Acesa, segundo Andréa Oliveira nasceu da necessidade de acender uma chama nesse momento sombrio pelo qual o Brasil está passando. “Enquanto eles defendem o uso de armas e promovem o ódio e a ignorância, nós declaramos, em lugar da guerra, o amor ao livro e ao conhecimento como ferramenta para vencer a barbárie”.

O projeto pretende formar um acervo especial com os livros citados pelos convidados. “A ideia inicial era que, a cada edição, o Palavra Acesa ganhasse um livro autografado pelo entrevistado. Mas, durante a edição do piloto com Zeca Baleiro, mapeamos mais de 20 livros, o que nos motivou a formar um conjunto mais robusto de obras”, explica a jornalista.

As conversas serão em torno das memórias e da relação da pessoa com a literatura. Um diferencial do Palavra Acesa em relação aos demais programas de entrevistas sobre a mesma pauta é o perfil dos convidados. O critério inicial é de que não sejam escritores ou profissionais que tenham o livro como ferramenta de trabalho. “Queremos trazer pessoas de diferentes áreas de atuação que têm em comum a paixão pelos livros, uma paixão que não seja óbvia por causa da profissão”, explicou Andreia Oliveira.

A edição piloto do Palavra Acesa teve direção executiva de Alê Muniz e Luciana Simões e foi realizado pela equipe de produção e audiovisual do Festival BR-135. A entrevista foi gravada no Casarão BR, imóvel localizado no centro histórico de São Luís, adquirido para funcionar como usina de criação para projetos culturais.

O Palavra Acesa é uma concepção de Andréa Oliveira. Tem parceria com o BR135, o Sesc do Maranhão,  o Iema e o Circuito de livreiros do Centro da Cidade (Vozes, Sebo do Arteiro, Chico Discos, Poeme-se, Feira da Tralha e Paço e Prosa)


Palavra acessa
Programa de entrevistas
Apresentação: Andréa Oliveira

O quê: Lançamento com exibição de vídeo da entrevista com Zeca Baleiro
Quando: Sábado, 27 de julho, às 16h
Onde: Teatro Napoleão Ewerton (Av. dos Holandeses, em frente ao Ibis Hotel)
Entrada: 1 kg de alimento por um par de ingressos

Copyright © AGENDA MARANHÃO - Desenvolvido por TodayHost